Hora de juntar e hora de separar

A celeuma Lula, SUS e Sírio.
A dicotomia eterna mulher gostosa, mulher inteligente.
Aparentemente, assuntos sem nada em comum.
Aparentemente.

Porque, como bem observou um amigo, eu vou de Sir Arthur Conan Doyle a Bahuan de um post a outro; então, nada pode supreender depois disso. Mas aí tbm é outro tema.

Há um texto circulando por aí, ora com fotos, ora sem, que, em resumo, diz que um homem de verdade não vai ligar se vc tiver barriga, celulite, calo e chulé (tá, o calo e o chulé são por minha conta); que vc tem que rir, beber, ir à academia quando dá, aquelas coisas…

Mais recentemente houve uma imagem (ah, a praga da popularização do Photoshop, pior que a gripe espanhola) que sugeria que o Lula fosse se tratar no SUS. Não bastasse isso, tão só uma piada de mau gosto, a meu ver, uma verdadeira onda de revolta se levantou, com os argumentos mais variados.

Daí que, pra mim, os dois assuntos são tão… iguais. Basicamente versam sobre a intolerância ao outro e essa mania horrorosa de sempre ter que escolher um lado. De sempre ter que caber numa caixinha, com começo, meio e fim. De não poder ter opinião. De reproduzir as coisas sem pensar (opa, essa é outra história também).

Sabe o Lula? É, o cara que fazia greve, peitava político, criticava o sistema. O cara que, se tivesse continuado metalúrgico, provavelmente teria que ir se tratar, sim, na rede pública. Mas se tornou presidente. E, sim, virou alvo de piada das mais variadas. O José Alencar sofreu e ninguém o mandou pro Hospital do Servidor? Talvez porque não fosse dele a responsabilidade, em primeira instância, de consertar esse assunto. Significa que eu sou a favor da piada? Bom, se vc leu até aqui, deve ter visto que eu a achei de mau gosto. Mas se vc quer saber, eu gosto da idéia do projeto de lei que obriga os políticos a matricularem seus filhos na escola pública. Não é a mesma coisa? Entenda como quiser.

Aí tem a mulher. É inacreditável que, nos dias de hoje, ainda exista quem acredite que só se pode ser uma coisa – ou outra. Que não é possível ser inteligente e ter um corpo legal. Que, pra ser culta, tem que usar um óculos fundo de garrafa e cultivar a celulite, porque ora, vamos gastar tempo apenas lendo livros! Andar na praia, tomar um sol, correr? Eu sou é nerd, dá licença. Estudar? Não, obrigada, preciso malhar os músculos inferiores do abdômem e não sei o que é axiomático. Nem quero. Ah, por favor.

Tanta gente fica dizendo por aí que está em busca do equilíbrio. Provavelmente citando Ghandi, falando de paz interior, mas o que me chama a atenção é que não nos importemos com a nossa opinião. Que ainda pensemos que, pra ser uma coisa, tem que deixar de ser outra.

Tem. Mas não tanto. Tem a hora de juntar e a hora de separar. E tem a hora de saber só rir de uma piada, ou apenas achá-la de mau gosto. E tem a hora de apreciar um texto legal, que provalvemente vai vir com a assinatura do Jabor ou do Veríssimo e talvez nem seja, mas não importa. A gente precisa pensar, eu acho. Mas também é só a minha opinião.

Eu acho que o Lula daria um ótimo exemplo indo se tratar no SUS. Mas ele pode ir pro Sírio. Quem faria diferente? Eu acho que uma mulher pode ser bonita, ter um corpo bacana e ser inteligente; ir à academia quando dá, comer com vontade, beber um chopp e ler um livro. No fundo, todo mundo persegue isso. Mas finge que não.

É tempo de bom-senso, bebê. Mas é só a minha opinião.

Anúncios

Sobre Ana Gomes

Profissionalmente, mais aqui >> https://br.linkedin.com/in/anacgomes
Esta entrada foi publicada em quase papo furado. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s